Search
Tuesday 16 January 2018
  • :
  • :

Senhores Europa, Daniel Alves e Marcelo assumem legado de Cafu e Roberto Carlos

Ainda sem Copa do Mundo, dupla da Seleção sobra na Liga dos Campeões e deixa brasileiros em patamar acima dos estrangeiros: “Esse domínio nas laterais é algo fantástico”, diz Cafu.

Quando Cafu e Roberto Carlos saíram de cena, após a Copa da Alemanha em 2006, a Seleção se viu órfã de duas de suas principais referências. Pouco mais de uma década se passou e, se há algo que o futebol brasileiro não pode reclamar hoje em dia, é o fato de estar carente de laterais de qualidade. Dos sete que chegaram às semifinais da Liga dos Campeões, quatro estarão na decisão de sábado em Cardiff, entre eles os principais nomes do setor no país: Dani Alves (que busca a quarta Champions) pela Juve e Marcelo (que sonha com a terceira) pelo Real – Danilo e Alex Sandro são os outros dois.

– Para o futebol brasileiro, esse domínio nas laterais é algo fantástico. Há muitos anos não acontecia isso. Sempre quando se falava de jogador brasileiro era meio-campista ou atacante. Poucas vezes se falava de um lateral, a não ser na nossa época, que era um pouco mais competitiva – disse Cafu, em entrevista ao GloboEsporte.com.

Os números dos laterais

Atletas Equipes Jogos oficiais Gols Títulos
Cafu São Paulo, Zaragoza, Juventude, Palmeiras, Roma , Milan e Seleção 677 23 23
Roberto Carlos Palmeiras, Inter de Milão, Real, Fenerbahçe, Corinthians, Anzhi e Seleção 952 113 22
Daniel Alves Bahia, Sevilla, Barcelona, Juventus e Seleção 727 45 34
Marcelo Fluminense, Real Madrid e Seleção 460 34 15

De fato, com a saída de Cafu e Roberto Carlos, uma lacuna surgiu nas laterais da Seleção. Marcelo e Daniel ainda estavam iniciando a carreira, e levou-se um tempo até que os dos assumissem de fato o posto dos ídolos. Se com a camisa do Brasil os dois ainda não têm uma taça de Copa do Mundo no currículo, nos clubes eles deixam até mesmo os ídolos para trás.

Em 10 anos de Real, Marcelo conquistou duas Champions League (2014 e 2016), dois Mundiais de Clubes (2014 e 2016), duas Copas do Rei da Espanha (2011 e 2014), quatro Campeonatos Espanhóis (2007, 2008, 2012 e 2017), duas Supercopas da Espanha (2008 e 2012) e duas Supercopas da Uefa (2014 e 2016). No total, são 14 títulos, enquanto Roberto Carlos faturou 13 canecos ao longo de 11 anos em Madri.

– O Marcelo é o melhor do mundo, faz um futebol mais real. Só espero que o Marcelo não seja melhor que eu, mas ele está jogando muito bem. No momento, ele é o melhor lateral-esquerdo que tem no mundo. Tecnicamente, o melhor é ele. Eu era mais potência e chute – opinou Roberto Carlos.

Contratado ao custo de € 6,5 milhões no final de 2006, Marcelo estreou pelo clube merengue em 7 de janeiro de 2007, entrando no segundo tempo de uma vitória por 2 a 0 para cima do Deportivo La Coruña. Ao longo de seis meses em que foi companheiro de Roberto Carlos no Bernabéu, chegou a jogar ao lado do ídolo, como meia. E o carioca só virou o maior lateral da história merengue por causa do pentacampeão, explica o jornalista Fernando Kallás, do jornal espanhol “ÁS”.

– Hoje, ele é considerado um dos maiores jogadores da história do clube, sem dúvida nenhuma. Se o clube não tivesse o Roberto Carlos como o grande ídolo da lateral esquerda, ele seria o maior lateral-esquerdo da história do Real Madrid – disse o jornalista, em participação recente no “Redação SporTV”.

Daniel Alves não tem a mesma identificação com a Juve. Após mais de 10 anos no futebol espanhol, onde foi destaque de Sevilla e Barcelona, está apenas em sua primeira temporada com a Velha Senhora. Mas, se pode levar a tríplice coroa em Turim, o Barça só levou a Copa do Rei e deve ter sentido falta do ex-lateral.

– Hoje eu vejo os maiores laterais do mundo. Real e Juventus têm nas laterais a sua força. Hoje eu vejo que o Daniel está ainda melhor do que quando saiu do Barça. Ele quis demonstrar que era uma peça importante, como ficou comprovado agora. Vejo o Marcelo amadurecendo cada ano mais e fico feliz com isso. Ele vem criando responsabilidade e colocou na cabeça que é uma peça importante. E acho que esse duelo entre Daniel Alves e Marcelo vai ser muito mais interessante do que o próprio Real x Juve – disse Cafu.

O sábado será especial para Daniel Alves. Será a quarta final em 10 participações na Champions do lateral, que chegará ao jogo de número 100 na competição. Somente com o Sevilla, em 2007/08, foi eliminado nas oitavas de final. Em oito participações com o Barça, foi três vezes campeão e chegou a outras três semifinais. Ao todo, acumulou 65 vitórias, 20 empates e sofreu 14 derrotas. Marcou 10 gols e deu 25 assistências.

Em comum, Cafu e Daniel Alves só vestiram a camisa da seleção brasileira. Eles seguiram por caminhos opostos ao longo da carreira, o primeiro na Itália e o segundo na Espanha. O capitão do penta virou ídolo de Roma e Milan, clube pelo qual conquistou a sua única Champions (em 2006/07). Daniel Alves pode levantar pela quarta vez a taça e busca o 35º título da carreira, o que o transformaria no mais vitorioso da atualidade.

Cafu só evitou traçar paralelos entre as duas gerações. Tampouco indicou que vá torcer por um ou por outro na decisão do próximo sábado.

– Olha… duelo de titãs em Cardiff. Vou torcer para dar empate. Vou torcer para que o Daniel dê uma caneta no Marcelo e que o Marcelo dê uma caneta no Daniel, e que assim fique empatado. Como brasileiro, vou torcer para que os dois façam um grande jogo – completou Cafu.

Títulos:

  1. Daniel Alves (34): Mundial de Clubes (3), Copa das Confederações (2), Liga dos Campeões (3), Supercopa Europeia (4), Mundial Sub-20 (1), Copa América (1), Liga Europa (2), Campeonato Espanhol (6), Campeonato Italiano (1), Supercopa da Espanha (5), Copa do Rei (5) e Copa da Itália (1).
  2. Cafu (23): Copa do Mundo (2), Mundial de Clubes (3), Liga dos Campeões (1), Libertadores (2), Copa Conmebol (1), Recopa Sul-Americana (2), Copa das Confederações (1), Copa América (2), Supercopa Libertadores (1), Supercopa da Europa (2), Taça das Taças (1), Campeonato Italiano (2), Campeonato Brasileiro (1) e Supercopa da Itália (2).
  3. Roberto Carlos (22): Copa do Mundo (1), Mundial de Clubes (2), Copa das Confederações (1), Liga dos Campeões (3), Copa América (2), Supercopa da Europa (1), Campeonato Espanhol (4), Campeonato Brasileiro (3), Supercopa da Espanha (3) e Supercopa da Turquia (2).
  4. Marcelo (15): Mundial de Clubes (2), Liga dos Campeões (2), Copa das Confederações (1), Supercopa da Europa (2), Campeonato Espanhol (4), Copa do Rei (2) e Supercopa da Espanha (2).

Fonte: http://globoesporte.globo.com




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *